Aspra decreta greve da PM; SSP nega e monitora ‘pequeno movimento’

Foto: Reprodução

Atualizada às 21:03

Em assembleia realizada na tarde desta terça-feira (8), no Clube Adelba, em Salvador, o deputado e representante da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares (Aspra), Soldado Prisco (PSC), decidiu decretar greve da Polícia Militar em toda a Bahia. Há quase três meses a categoria tenta negociar com o Governo, mas sem êxito. A Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) nega a existência de um movimento paredista e trata a mobilização como um “pequeno movimento”.

Em entrevista, Prisco disse que a categoria quer diálogo. “Esperamos que o governo sente e dialogue. O que nós queremos é apenas o diálogo. Se o Governo sentar e dialogar, tenha certeza que a categoria vai avançar. Enquanto não houver diálogo, não tem retorno aos trabalhos. Esse tumulto não vai partir dos policiais. Nosso pessoal está aqui e a recomendação é vir para cá, para ficar seguro aqui. Recomendo que a população fique em casa, porque a irresponsabilidade neste momento é do Governo do Estado, em não querer negociar. São seis anos de tentativa de negociação”, disse.

Os policiais reivindicam, entre outros pontos, melhorias do Planserv, reforma do estatuto, reajuste do auxílio alimentação, um novo plano de carreira e Isenção de ICMS para aquisição de arma de fogo.

O comandante-geral da PM, coronel Anselmo Brandão, negou que a paralisação anunciada pela Aspra represente o efetivo da categoria, e garantiu que os policiais continuarão nas ruas.

Aguarde mais informações.